Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Pesquisadora da USP ganha prêmio da Society for Neuroscience

23 NOV 2018 - 00H00 | ATUALIZADA EM 23 NOV 2018 - 10H43

Elaine Del Bel, professora titular em Fisiologia na Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, foi a ganhadora do Bernice Grafstein Award for Outstanding Accomplishments in Mentoring, concedido pela Society for Neuroscience (SfN), nos Estados Unidos.

O prêmio foi entregue no início de novembro em San Diego, na Califórnia, e reconhece indivíduos que demonstraram dedicação ao aconselhamento de mulheres neurocientistas e à facilitação de sua entrada ou permanência no campo das neurociências. Foi estabelecido em 2009, sendo o prêmio apoiado por Bernice Grafstein, a primeira presidente mulher da SfN.

Del Bel é a primeira brasileira a receber um prêmio da SfN, a maior organização mundial de cientistas e profissionais da saúde que se dedicam a entender o sistema nervoso central.

“É uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1969, com aproximadamente 37 mil membros de mais de 90 países. A reunião anual da Society for Neuroscience é a maior fonte mundial de notícias emergentes sobre ciência do cérebro e saúde”, disse Del Bel à Agência FAPESP.

“A Society for Neuroscience está feliz em reconhecer neurocientistas, não apenas por suas contribuições em pesquisa, mas também por seus esforços para aumentar a representação das mulheres na ciência. Sua dedicação em orientar e encorajar a próxima geração de neurocientistas acabará por fortalecer o campo e levar a descobertas que avançam as neurociências”, disse Richard Huganir, presidente da SfN.

Del Bel é presidente da Federação de Sociedades de Neurociência da América Latina, do Caribe e na Península Ibérica (Falan) e coordena o Projeto Temático “Estudo da contribuição do processo inflamatório na discinesia induzida por L-DOPA na doença de Parkinson”, apoiado pela FAPESP.

Orientou mais de 130 estudantes de graduação e pós-graduação, além de pós-doutorados, entre eles 84 mulheres e muitos jovens cientistas da América Central e do Sul.

Além do trabalho pioneiro em doenças degenerativas do sistema nervoso, em especial a doença de Parkinson, Del Bel instituiu programas para promover a igualdade entre os estudantes, especialmente estudantes mulheres da América Latina.

“Meu compromisso de longa data de orientar as futuras gerações de mulheres líderes em neurociência é reflexo da minha participação em programas de divulgação científica e comitês, que incluem a Organização Internacional de Pesquisas do Cérebro e o Comitê Mulheres de Liderança Mundial em Neurociência, além de organizar reuniões da Women in World Neuroscience”, disse. 

Fonte: Agência Fapesp