Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Transporte e manuseio de reagentes: conheça o processo logístico da Labtest

Um laboratório de análises clínicas exige um ambiente extremamente controlado para garantir que nenhum fator externo possa alterar a integridade das amostras. Regras rígidas de circulação e manuseio por parte dos profissionais, além de uma infraestrutura de ponta, garantem que os resultados não sejam influenciados. Mas, fora desse espaço, principalmente no caminho entre o laboratório e seus clientes, o cenário é um pouco mais delicado.

É no transporte de reagentes ou de substâncias biológicas que os riscos de contaminação ou danos que comprometem o material se tornam mais prováveis. Por isso, encontrar uma empresa que oferece o melhor nível de segurança e qualidade é tão importante.

“Na logística convencional, quanto maior o volume e menor custo de frete atrelado ao tempo de entrega, melhor o custo-benefício de uma transportadora. No nosso campo, é completamente diferente. Trabalhamos com níveis de controle que não podem ser submetidos a essas variáveis”, explica Fabrício Cancelas, Gerente de Supply Chain da Labtest.

Confira a seguir como o cuidado no transporte e o serviço especializado pode fazer a diferença para o laboratório.

Prazo diferenciado por região

Um dos principais desafios durante o transporte é manter os reagentes refrigerados para sua preservação ideal. No Brasil, esse desafio é maior ainda. Considerando a grande extensão territorial, o tempo de transporte não pode ser muito prolongado. Além disso, as variações de clima existentes entre as regiões do país são relevantes e precisam ser consideradas no processo.

Para garantir a melhor administração sobre esses fatores, o setor de Controle da Qualidade Labtest realizou um estudo para definir a estabilidade ideal de temperatura dentro das embalagens de acordo com o clima e distância a ser percorrida em cada região de destino. A partir do que foi observado, a empresa conseguiu definir dois padrões: para os Estados do Paraná e Rio Grande do Sul, a embalagem utilizada garante estabilidade de até 120 horas; para demais Estados, 72 horas.

Essa diferenciação nos prazos leva em consideração o processo integrado com a rede de distribuição dos produtos Labtest, que compartilham do mesmo rigor e se beneficiam com entregas programadas. No Rio Grande do Sul e Paraná, que são as praças onde a Labtest atua com vendas diretas, a estabilidade de até 120 horas permite atender com segurança os clientes nas localidades mais remotas.

Controle permanente

Além desse estudo de viabilidade dos prazos de entrega, a Labtest continua monitorando mensalmente as variações de temperatura de suas embalagens nas cinco regiões do país. Esse trabalho é feito com o envio de cargas acompanhadas com dispositivos registradores de temperatura, que monitoram as condições desde o momento em que a carga sai da Labtest até a entrega ao distribuidor ou cliente. Os dados apontados por estes dispositivos alimentam indicadores e relatórios de gestão da qualidade usados na avaliação constante dos processos logísticos.

Minimizando os riscos

Para as cargas classificadas com os critérios “Restritos ou Perigosos” pelos órgãos reguladores dos transportes aéreos, como a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e International Air Transport Association (IATA), a Labtest utiliza caixas especiais, homologadas e sinalizadas.

As embalagens desta categoria têm estrutura reforçada e sinalização externa com os termos de risco, e os produtos acondicionados nestas embalagens ganham proteção extra – a vermiculita, mineral com excepcional capacidade de isolamento e absorção, o qual garante que, mesmo em eventual vazamento, o líquido não cause qualquer impacto ambiental ou risco à segurança dos agentes envolvidos.

Checkup do destinatário

No ato da entrega, o cliente recebe as mercadorias e suas respectivas Notas Fiscais de faturamento, e também o documento Recebimento de Mercadorias, no qual estão descritos todos os pontos de atenção a serem observados pelos destinatários ao receberem a carga e quais os procedimentos a serem adotados diante de qualquer inconveniente.

A avaliação do processo de entrega envolve também a percepção do cliente na qualidade dos serviços prestados pelos operadores logísticos, por isso é importante deixar explícito quais são os requisitos da entrega ideal e quais são os canais de comunicação imediata. Esse checkup feito pelo cliente potencializa o empenho do transportador em oferecer melhores serviços e envolve toda a cadeia no senso de corresponsabilidade.

“Nosso trabalho contempla toda a cadeia junto a todos os agentes envolvidos; um erro em qualquer etapa compromete todo o processo. Por isso, precisamos não só minimizar essas possibilidades, mas determinar a rastreabilidade dessas ações para garantir ao cliente um material seguro para seu trabalho”, explica Fabrício.

Para conhecer melhor os processos de transporte e logística, leia também estes artigos sobre preservação de material biológico humano e garantia da qualidade de reagentes.

Fonte: Labnetwork