Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Malária Pf./PAN ECO Teste: resultados em 15 minutos

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) alerta: após 9 anos (2005-2014) a tendência inverteu-se e houve um avanço no número de casos da malária na América Latina.

Em 2016, o Brasil registrou 117.832 casos da doença em 9 estados. Em 2017, o número chegou a 174.522, valor que representa um aumento de 48%.
A unidade federativa mais afetada é o Amazonas, com cerca de 74 mil ocorrências em 2017. Em 2016, foram aproximadamente 45 mil casos. O segundo estado com maior número de infecções foi o Pará — cerca de 33 mil em 2017, bem mais que os 13 mil identificados em 2016.

Em 2016, nove países (Colômbia, Equador, El Salvador, Haiti, Honduras, Nicarágua, Panamá e Venezuela) relataram um aumento nos casos da doença. Em 2017, além do Brasil, Equador, México, Nicarágua e Venezuela também notificaram uma elevação do número de infecções.

A OPAS alerta sobre o risco de surtos, aumento de casos e mortes em áreas onde a doença é endêmica e sobre o possível reaparecimento da patologia em áreas nas quais a transmissão já havia sido interrompida

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários e transmitida pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. O período de incubação varia de acordo com a espécie de plasmódio. A malária pode evoluir para infecção cerebral, insuficiência renal ou meningite e para óbito. A cura é possível se a doença for tratada em tempo oportuno e de forma adequada.

O parasita Plasmodium tem dois hospedeiros: o ser humano e o mosquito Anopheles. A doença é transmitida quando a fêmea do mosquito infectado pica uma pessoa. O mosquito fica infectado quando pica uma pessoa com malária. Ou seja, quando o doente é diagnosticado e recebe tratamento, deixa de infectar o mosquito, desta forma o ciclo termina.

A ECO Diagnóstica possui o Malária P.f/Pan ECO Teste para detecção qualitativa da proteína rica em Histidina (HRP-2) específica para Plasmodium falciparum (P.f) e o antígeno comum (pLDH) a todas as quatro espécies de malária (P. falciparum, P. vivax, P. ovale e P. malariae).

O teste utiliza apenas 5uL de sangue total e libera o resultado em 15 minutos de duas formas: ou por visualização das linhas controle, P.f e/ou Pan ou pelo Índice de Corte – COI (necessário leitor ECO Reader F).

A leitura do teste utilizando os aparelhos ECO Reader F possui maiores vantagens e facilidades em relação a leitura visual: 
• Possibilita a rastreabilidade de informações;
• Permite armazenamento do banco de dados (operador/data/hora/resultados);
• Utiliza cassete de tecnologia 2D para identificação do paciente e do teste (validade/lote/procedimento);
• O resultado com COI avalia o nível de infecção do paciente;
• Facilita a interpretação do resultado.

Fonte: Lab Network